Últimas notícias

Em 2021 as classes D/E fez investimentos segundo pesquisa.

Imagem mostra um homem de terno colocando uma moeda em um pote de vidro onde tem muitas outras moedas.


Apesar dos orçamentos apertados, cerca de 16% dos brasileiros D/E puderam investir em produtos financeiros em 2021 a informação é da Raio X que pertence a um Investidor Brasileiro. A primeira pesquisa foi feita em 2017, sendo realizada todo ano, pela Anbima em colaboração com o Datafolha.

As Entrevistas foram feiras de forma presencial, participaram da pesquisa 5.878 cidadãos de classe A/B, C e D/E com 16 anos ou mais, a entrevista foi realizada em 05 regiões do território nacional, no período de 09 á 30 de novembro de 2021. A pesquisa vem com um nível de confiança de 95%

Marcelo, diretor de comunicação, credenciamento e educação de investidores da Anbima, disse: “Apesar de poucos recursos financeiros, ainda há uma parcela dos níveis D/E que ainda pode investir”. A pesquisa de 2021 mostrou que nas categorias A/B, mais da metade conseguiu investir em produtos financeiros (52%). Na categoria C, a taxa caiu para 29%.

Enquanto as pessoas da categoria D/E são capazes de investir, é nítido que a falta de compreensão sobre cada tipo de investimento disponível no mercado continua sendo um problema para eles a categoria D/E quê são 82% afirmaram não conhecer ou não usar nenhum item financeiro, contra categoria A/B 44%, na categoria C é 67%.

A categoria D/E preferem investir seu capital em bens duradouros como imóveis (3%) apesar do seu próprio negócio (3%) os investimentos financeiros apareceram com apenas 1% dos feedbacks desse grupo, percentual bem menor em relação às categorias A/B (14%) e C (5%) o método de investimento a (poupança) mais tradicional para os brasileiros e o produto financeiro mais utilizado na categoria D/E, preferido por 14% do desse grupo.

Os investidores da categoria D/E ainda aguardam bons retornos do investimento (14% deles) e (8%) o veem como um positivo para resgatar se necessário sem afetar o investimento as classes D/E são compostas por mulheres (59%), que possuem ensino fundamental (61%) e possuem uma renda familiar média de R$ 1.492.

Além do mais, cerca de dois terços (62%) dessa classe são economicamente ativos, sendo que 44% residem no território Nordestino. Menos de um terço (22%) tem conta-corrente em banco tradicional e apenas 4% possui conta-corrente em banco digital.

Enfim, você gostou deste artigo?

Portanto, Inscreva-se no canal do YouTube e em nossas redes sociais (como TwitterInstagram). Portanto, você estará atento a todos os assuntos relacionados ao banco digital, cartões de crédito, empréstimos, tecnologia financeira. 

Sem comentários

Muito obrigado por deixar sua opinião ela e muito importante.